Terapias

A importância da amamentação

A amamentação faz parte da nossa natureza. Somos mamíferos, em tempos foi-nos inato amamentar. Contudo, no estilo de vida ocidental do presente, nós não crescemos habituados a ver mães a amamentar os seus bebés. Não vemos isso acontecer no universo dos animais, porque cada vez menos interagimos no nosso meio com a realidade do nascimento e crescimento de um animal no seio da sua família, assim como não estamos habituados a ver as nossas irmãs|tias|primas|amigas, a amamentar.

Amamentar passou a ser um acto quase tabu. As pessoas até podem saber que o fazemos, mas em público são muitas as mulheres que assumem não o fazer, preferindo muitas vezes ir para o carro, para um quarto isolado ou até para o wc.
O “porquê” é difícil de entender, mas muitas mulheres que amamentam, sentem que o seu caminho pode ser dificultado pelas observações exteriores. Seja por receio dessas observações, por vergonha em amamentar em público, ou simplesmente porque assumem que é normal fazê-lo em isolamento.

Há poucas décadas atrás, o normal era fazê-lo abertamente, quando e onde fosse necessário, mas num contexto diferente em que as pessoas formavam autênticas comunidades. Havia alguma ignorância sobre amamentação? Sem dúvida, mas há décadas atrás, já se semeavam dúvidas sobre a potencialidade do leite. Apesar dessa ignorância que foi crescendo incomensuravelmente, há décadas, a amamentação – ainda- era vista como algo natural e fisiológico.

Somos seres sociais e aprendemos competências de sobrevivência imitando o que vemos os mais velhos fazem. Assim aprendemos as coisas mais importantes da vida, como falar, andar, comer, vestir. Também aprendemos outras coisas que nos possam suscitar interesse, como um ofício, tocar um instrumento. Imitar permite aprender, e na amamentação funciona exactamente do mesmo modo.
Podia obviamente ser necessário algum apoio de uma mulher mais experiente, mas a base estava lá (assim como o apoio da comunidade).
Nos dias de hoje, acontece o oposto: não crescemos a ver amamentar e não temos o apoio social para o fazer. Então podemos chegar a duas conclusões:

  1. Amamentar pode de facto ser desafiante, porque será uma aprendizagem do zero que irá acontecer num curto espaço de tempo;
  2. Eventualmente apoio externo será necessário para que a amamentação possa ser bem-sucedida.

Como Doula e apoiada em formações em amamentação, tenho autonomia para facilitar o apoio de primeira linha, assim como a rede de contactos necessária para acionar no caso de necessidade. É sim possível amamentar, mas para tal é imprescindível que a informação se inicie ainda na gravidez.

Conseguirei amamentar sem apoio? Claro que sim! Mas sempre com a ideia presente de que a amamentação não é dolorosa, pelo que caso exista algum desconforto persistente, é importante contactar uma especialista em amamentação que possa facultar esse apoio.
É suposto ser prazeroso, tranquilo e promotor do vínculo. Quaisquer sensações de desconforto podem ser apoiadas com a informação correcta. Sabes qual é uma óptima forma de conseguir levar a amamentação de uma forma mais serena? Através de círculos de amamentação. Fica atenta!

Autoria: doula Carla Santos

Partilhar:

Deixe um comentário